Posts em Destaque

Posts mais selecionados estão esperando por você . Veja isso

Goniofotômetro IQ

 



Em se tratando de promover sensações visuais, notamos que o acabamento dos produtos é um fator primordial para a decisão do cliente. Ao considerarmos o Brilho e sua importância na aparência dos produtos, devemos considerar também algumas falhas ou efeitos que podem impactar de forma positiva ou negativa na superfície dos produtos.

Efeitos como o Haze e Casca de laranja afetam diretamente a aparência e qualidade da imagem refletida, já que podem ser causados por falhas na formulação, processo e acabamento de interiores e exteriores.

Os principais parâmetros analisados pelas indústrias automotivas, moveleiras, de tintas, pisos e revestimentos são:

Reflectance Haze - Efeito da dispersão refletiva, conhecido também como efeito névoa de reflectância comumente detectado em superfícies foscas ou não polidas.

Com Haze
Com Haze

Sem Haze

Distinctness of Image (DOI) - Uma medida de quão claramente uma imagem refletida aparecerá em uma superfície refletiva. A casca de laranja reduz drasticamente a qualidade da aparência sem afetar as leituras de brilho. OS dois painéis de teste abaixo medem de forma idêntica com um medidor de brilho padrão. O Rhopoint IQ com medição RIQ/ DOI pode quantificar as diferenças destacadas.

Reflected Image Quality (RIQ) - Usado para quantificar efeitos como casca de laranja e ondulação da superfície. Este novo parâmetro fornece resultados de resolução mais alta em comparação com a medição de Distinção de Imagem (DOI) e imita melhor a percepção humana da textura da superfície, especialmente em acabamentos de alta qualidade, como automotivo.

Sintomas de RIQ ruim - casca de laranja, marcas de pincel, ondulação ou outras estruturas visíveis na superfície. As imagens refletidas são distorcidas.

Causas - Problemas de aplicação, fluxo incorreto do revestimento, viscosidade do revestimento muito alta/baixa, queda ou fluxo do revestimento antes da cura, tamanho/distribuição de partícula incorreta, pulverização excessiva, tempo de repintura, compatibilidade entre demãos, tempos de cura incorretos e temperatura de cura.

RSPEC - O valor de brilho máximo em um ângulo muito estreito. Este parâmetro é muito sensível à textura da superfície e pode ser usado para identificar diferenças sutis em superfícies lisas.

O goniofotômetro Rhopoint IQ foi desenvolvido para quantificar os efeitos destacados acima, além de analisar o brilho em 3 ângulos distintos, sendo eles:

Brilho - A geometria de medição correta deve ser usada de acordo com o acabamento da amostra.

• Fosco: 85°

• Brilho médio: 60°

• Alto brilho: 20°



Para mais informações sobre equipamentos e análises aplicadas a brilho e seus efeitos, entre em contato com a BrasEq pelo site: ww.braseq.com.br/contato ou whatsapp  (11) 97277-3576.


#BrasEq35anos #BBE #BrasEq #tecnologianamedidacerta #aparencia #brilho #controledequalidade #acabamento #pintura #inspecao

Análise de Cor - ColorFlex EZ


                                  Análise de Cor em Citrus

A cor é frequentemente usada como indicação de qualidade e frescor  para produtos alimentícios; isto aplica-se especialmente ao suco de laranja onde é preferida uma cor vermelho-alaranjada.

Originalmente, os fabricantes de suco cítrico usavam métodos subjetivos para avaliar a cor da amostra. Eles realizavam comparações visuais de suco de laranja em um tubo de vidro padrão com um conjunto de comparadores plásticos do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) também acondicionados em tubos de vidro. Os resultados deste método eram muitas vezes inconsistentes e não confiáveis.

Nas décadas de 1950 e 1960 várias empresas estavam realizando pesquisas no intuito de desenvolver um instrumento capaz de medir objetivamente a cor do suco de laranja. No início, a HunterLab desenvolveu o medidor de citrinos D45. O atual instrumento HunterLab usado para a medição de suco de laranja é o ColorFlex EZ Citrus. Este espectrofotômetro compacto é usado para medir a cor de laranja fresca e concentrada, toranja e suco de limão. As medições ainda são feitas com amostras contidas no mesmo tipo de tubo de vidro que foi usado para as primeiras avaliações visuais.

O equipamento foi desenvolvido utilizando a geometria 45°/, que mede a cor da forma que o olho humano a enxerga, e o sistema é composto por um suporte que mantém o tubo com a amostra na correta posição de leitura, garantindo a reprodutibilidade e precisão das mesmas.


O ColorFlex EZ Citrus fornece os índices Citrus Red (CR), Citrus Yellow (CY) e Citrus Number (CN), calculados a partir dos Valores Tristimulus XYZ CIE. Esses índices foram inicialmente referenciados para uso em suco de laranja concentrado mas na prática podem ser usados para outros como toranja e limão. Qualidade, com precisão, pode ser avaliada rapidamente!

Para mais informações sobre equipamentos para análise de cor aplicada a sucos e bebidas e seus derivados entre em contato com a BrasEq pelo site:  ww.braseq.com.br/contato ou Whatsapp 11 97277-3576.


#BrasEq35anos #BBE #BrasEq #tecnologianamedidacerta #sucodelaranja #hunterlab #citrus #USDA #citrusredness #citrusyellowness #citrusnumber #ColorFlex


Medidor de Brilho - Novo Gloss Trigloss Rhopoint


Brilho e sua importância na aparência dos produtos

O corpo humano, através de seus receptores, é capaz de registrar diversos tipos de sensações e emoções que são processadas por nosso cérebro, fazendo-nos criar perspectivas diferentes para cada uma dessas informações recebidas.

Por meio da visão recebemos informações dos objetos e suas silhuetas, cores e suas aparências e, texturas e suas sensações.

O parâmetro do brilho definido como "O atributo das superfícies que faz com que elas tenham aparência metálica brilhante ou lustrosa" e, assim como a cor, é um aspecto da percepção visual dos objetos tão importante quanto à cor quando se considera o impacto psicológico dos produtos no consumidor, e ambos dependem de um iluminante, de uma amostra e um receptor.

O controle do brilho é importante por alguns motivos, tais como:

Avaliar a qualidade dos produtos analisando os efeitos dos recobrimentos em diversos tipos de superfície como: metal, madeira, plástico e vidros;

Manter padrões de acabamento em componentes automotivos, aeronáuticos, eletrodomésticos e móveis;

Este parâmetro pode ser analisado em diferentes ângulos, dependendo do acabamento ou textura aparente de cada produto, e os três principais ângulos são:

20° - Utilizado em medições de materiais com altíssimo brilho, acima de 70 GU.

60° - Padrão universal, amplamente utilizado em medições de materiais com alto, médio e baixo brilho.

85° - Utilizado em medições de materiais com brilho abaixo de 10 GU.

Com essa analise é possível identificar, quantificar e corrigir falhas na aparência dos produtos:

          


Para mais informações sobre equipamentos para análises aplicadas a brilho e seus derivados entre em contato com a BrasEq pelo site: ww.braseq.com.br/contato ou




#BrasEq35anos #BBE #BrasEq #tecnologianamedidacerta #aparencia #brilho #controledequalidade #automoveis














Analisador de Textura CTX - AMETEK Brookfield


Até o fim do século XIX, a produção de pão e seus derivados era através apenas do trabalho 
manual, sendo que a mecanização dessa indústria só foi obtida após a segunda guerra, pois a escassez de recursos levou a investimentos em equipamentos para baratear a produção em massa de alimentos devido as demandas da população.

Com a popularização das máquinas amassadeiras, modeladoras e fornos, o pão e seus derivados passaram a ser produzidos em larga escala, a um baixo custo. Consequentemente produtos como cookies, pão de mel, donuts, baguetes, biscoitos, pão de queijo, croissant, mil folhas, panetones, que somente eram produzidos artesanalmente foram industrializados e passaram por uma perda de qualidade devido esta massificação. E para recuperar o encanto do consumidor final as companhias constataram que é necessário que haja um controle da textura destes produtos.

O sabor e a textura são as impressões mais impactantes dos alimentos para o consumidor no momento do consumo. A avaliação da textura começa com a aparência visual do produto alimentar. Antes até mesmo de tocar o produto o consumidor avalia visualmente se está seco e talvez crocante ou se parece cremoso e deve resultar em uma expectativa de uma consistência suave e fluida na boca. E continua pelo toque no produto, a forca para cisalhar o alimento, sua mastigabilidade ao colocá-lo na boca, e a força para engoli-lo.

Um texturômetro é uma máquina de ensaios universal capaz de executar testes de compressão e tração em diferentes tipos de amostras, quantificando assim as propriedades mecânicas de materiais, correlacionando parâmetros sensoriais com sua respectiva quantificação. O desenvolvimento de diferentes tipos de pontas de prova e dispositivos específicos permitiu a ampliação da aplicação do instrumento como flexão, alongamento e ruptura, força de rasgo, aderência e força de adesão, cisalhamento e coeficiente de atrito, entre outros.

Para avaliar a maciez em pães seguindo metodologia AACC, pode-se utilizar a ponta de prova TA-AACC36/21. Para testes de resistência à compressão com validação de resiliência e viscoelasticidade através da compressão total pode-se utilizar a ponta TA-CTP. Para avaliar a extensibilidade da massa garantindo a formação da rede de glúten e sua estabilidade pode-se utilizar um dispositivo Kiefer. Para análise de massas destinadas à produção de macarrão podem ser analisadas a firmeza e elasticidade com o dispositivo TA-PFS ou resistência ao corte com os dentes com o dispositivo TA-PFS-C tanto das massas cruas ou cozidas.

Assim, o Texturômetro CTX da AMETEK Brookfield pode realizar a avaliação de textura de diversos produtos em diversas etapas de produção, sempre de forma precisa, fornecendo dados em tempo real com assitência de software integrado que permite a confecção de relatórios, estudos estatísticos e comparação entre amostras. 

Para mais informações sobre equipamentos para análises aplicadas a panificação e seus derivados entre em contato com a BrasEq pelo site: www.braseq.com.br/contato ou whatsapp (11) 97277-3576.


#BrasEq35anos #BBE #BrasEq #tecnologianamedidacerta #texturômetro #panificação #pão #AMETEKBrookfield #controledequalidade #crocancia #donuts #cookies

Chocolate – Ferramentas de Controle de Qualidade


O chocolate é um alimento constituído basicamente de cacau, açúcar e manteiga de cacau. Apresentando textura sólida em temperatura ambiente, porém quando submetido ao paladar funde-se a temperatura corporal 29 °C a 33 °C. O chocolate está presente em praticamente todas as culturas sejam em forma de barras, bombons, sobremesas elaboradas, bebidas e até alguns ousados pratos salgados. Em geral a expectativa que se tem quando se degusta um bom chocolate é que esteja sólido em suas mãos, mas que traga além do sabor característico a suavidade e cremosidade desse alimento tão único.

O cacau é a base do chocolate e contribui para textura, cor e sabor e, também, para a redução de atividade de água, aumentando a durabilidade. O chocolate puro é feito de matérias-primas-chave, os grãos de cacau e o açúcar. Os principais ingredientes que entram na composição do chocolate são os açúcares, manteiga de cacau, leite em pó, leite condensado, cacau em pó, sorbitollecitina de soja, aromatizantes e edulcorantes, estando às sensações de cremosidade, suavidade, maciez, crocância e dureza diretamente ligadas a essa composição.

O controle e conhecimento das propriedades reológicas bem como de outros parâmetros físico-químicos é importante na avaliação da qualidade das matérias-primas, processamento, necessidade de armazenamento, estabilidade e aplicação.

FERRAMENTAS DE CONTROLE

Por se tratar de um produto alimentício, onde a aceitação do consumidor comanda a decisão de aquisição, nos chocolates, vários parâmetros devem ser controlados, como viscosidade, textura, coloração e fluidez de pós.

As propriedades reológicas importantes para o chocolate são a viscosidade plástica e a tensão de escoamento. A viscosidade é a medida da resistência do chocolate ao fluxo, por exemplo, quando aplicado a moldes e durante o processamento. A tensão de escoamento é a “força” necessária para iniciar o fluxo, como quando se decora um bolo.

A viscosidade do chocolate é um dos parâmetros que requer maior atenção, pois está relacionado ao “caráter” sensorial do chocolate, além de auxiliar nas adaptações possíveis ainda na etapa produtiva para atingir as características sensoriais desejadas.

A NCA (National Confectioner Association) e CMA (Chocolate Manufacturers Association) desenvolveram um método que permite a avaliação dos parâmetros como viscosidade plástica e a tensão de escoamento. Esta padronização passou a possibilitar que os fabricantes de chocolates e derivados avaliem os parâmetros de viscosidade plástica e tensão de escoamento, obtendo-se melhor reprodutibilidade além de padronização na análise.

Em conformidade com as normas DIN e ISO, para avaliação dos parâmetros acima se utiliza o viscosímetro ou reômetro Ametek Brookfield com banho termostático e dispositivo com geometria de cilindros coaxiais que permite a realização do teste com variação de taxas de cisalhamento, garantindo a termostatização e quantificando os parâmetros Viscosidade Plástica e Tensão de Escoamento através do ajuste de modelo matemático Casson, com auxílio dos softwares RheocalcT ou Rheo3000.


Propriedades físicas como crocância, mastigabilidade, coesividade, dureza, espalhabilidade e fraturabilidade, podem ser avaliadas no chocolate ou em seus derivados tais como barras, bombons, mousses, ovos e sorvetes, a partir do uso do texturômetro CTX, da Ametek Brookfield, que foi desenvolvido com a finalidade de simular ensaios mecânicos de tração e compressão, onde a resistência do material em relação à força aplicada é medida por uma célula de carga calibrada, e o resultado é exibido em gramas (g) ou Newtons (N). Estas forças são obtidas em função das propriedades da amostra e dos parâmetros do método. O produto final, proveniente das variações do tipo de chocolate ou de sua composição, pode ser dessa forma avaliado quantitativamente.


Outra característica bastante importante é a cor, pois a coloração final dos produtos desencadeia expectativas de paladar. A cor bem como o brilho são parâmetros primordiais de aceitação do consumidor dentro da indústria alimentícia. Em chocolates, a cor é uma das principais características para definição da qualidade, tendo se mostrado decisiva na aceitação ou rejeição pelos consumidores, pois está diretamente ligada as proporções de matérias-primas, como o cacau e a manteiga de cacau, utilizados bem como referência. Às condições de armazenamento e validade, servindo de auxilio a percepção do consumidor em relação aos atributos de aparência sabendo que sua superfície pode ter variações de cor em condições desfavoráveis, perdendo seu padrão e ficando acinzentada devido a cristalização da manteiga e do cacau quando submetidas a altas temperaturas. O chocolate e seus derivados podem ser avaliados através de ensaios de reflexão de luz e simulação da visão humana (geometria 45°/0) em espectrofotômetros HunterLab.

O cacau bem como os chocolates em pó podem ter suas características de fluidez e densidade aparente avaliadas garantindo seu processamento, bem como a predição de coesão durante o armazenamento e transporte. Os pós e grânulos finos são analisados no PFT da Ametek Brookfield por meio de testes pré-definidos que são automaticamente executados numa questão de minutos. Os resultados podem ser usados para minimizar ou eliminar o tempo de inatividade e gastos extras que ocorrem quando há falhas nos funis de descarga além de permitir adequações e desenvolvimento de novas formulações.

Para maiores informações sobre estes e outros modelos de equipamentos para controle de qualidade e desenvolvimento aplicados a chocolates e derivados, entre em contato conosco pelo fone (11) 97277-3576 ou envie um email para atendimento@braseq.com.br.

PFT - Fluidez de Pós

A falha no transporte, escoamento e armazenagem de pós é um dos maiores desafios no processo produtivo e de embalagem. A falta de conhecimento das características de fluidez leva a variações no peso, mistura, desempenho e propriedades sensoriais dos produtos.

O método da célula de cisalhamento anular (ASTMD6128) do Powder Flow Tester (PFT), possibilita entender o comportamento do produto e reduzir a perda de tempo.

- Compare os pós e as misturas, classifique-os e ajuste o setup da produção;

- Determine a fluidez do pó, medindo o ângulo de atrito interno, atrito da parede, resistência coesiva e densidade aparente, diâmetro de arco e rat-hole.

A equipe de especialistas BrasEq irá ajuda-lo a definir as necessidades e implantar as metodologias, além de cuidar do bom estado de conservação do instrumento através do programa de manutenção preventiva/ calibração em conformidade com a o norma ISO17025:2017.

Para saber mais entre em contato conosco!

Fone: 11 4016-0000 ou e-mail atendimento@braseq.com.br

#tecnologianamedidacerta #braseq #bbe #pft #fluxodepo #powderflowtester #fluidezdepó #analisedefluxodepo #granulosfinos